terça-feira, 22 de março de 2011

Cruel

Por que é que tem que ser tão fraca? Que me deixa perder por pouco?! Por tão pouco?!
Que em qualquer esquina me pode raptar?! Que está nos cantos, nos banheiros, nos pés, debaixo dos braços, no olfato. Por que?! Por que tem marretas nas mãos capazes de destruir construções de períodos longínquos?
Pergunto-me sem pausas, por que.
Tentei -e tento- por inúmeras vezes fugir, abrigar-me. Mas os abrigos me socorrem por pouco tempo, perdendo-me por algo que dura menos tempo ainda.
O olfato junta-se com a visão, e me põe nas idéias um suicídio carnal. Nem mesmo preciso tocar pra perder as estribeiras! Está ali, perto do que posso ver, sentir, cheirar. Humanamente cruel.
Talvez seja -mais uma vez- esta minha condição de "excesso" a causa disso. Não sei ser pouco, nem sentir pouco, nem estar pouco. Preciso me afogar, e dependendo do caso, retardar a imersão.


A existência do sexo é cruel! Ou a força que ele exerce sobre mim, é.


Aviso aos humanos: Lavem-se com os mais fortes perfumes! Abusem de todos os cheiros artificiais existentes. Escondam os seus cheiros de gente de mim. Ou estejam em estado inodoro. Amputem seus pés, e não tenham pêlos. Passem pela minha vida, mas não cruzem com a minha tara. Minha libido pode ser você.


Porque a carne não é fraca.
Fraco sou eu.
Minha carne é sua.
Me Ame aqui.




Claudio Rizzih.

6 comentários:

Anônimo disse...

alguém andou fazendo amorzeenhoo... HUAHAHUA

belo texto.

faz comigo agora, porra.

Andresa Alvez disse...

A carne não é fraca, a gente que é. E nós nos deixamos levar pelo que nos chama atenção, pelo que nos puxa pela alma, pelo olfato, pelo pé; porque, creio que se fôssemos puxados pela mão, poderíamos sim voltar atrás, afinal, a carne é forte.
Mas, se caso eu, ou boa parte de toda a raça humana que fica ao teu redor não quiser se manter afastada? Se eles, quem sabe, sentirem aquele desejo de te provocar, de passar exatamente pelo caminho da sua tara? De, não apenas despertar o libido mas, ser o libido? Quanto a mim, você já sabe a resposta.
Sem palavras que cheguem à altura do que eu senti lendo cada palavra, afinal, não seria algo muito apropriado para se expressar aqui. Você entende..
Parabéns, Meu Amor.

Leonardo Távora disse...

Não sei se pode-se tratar de fortaleza ou fraqueza. É essência... É a nossa natureza. É próprio do ser humano. Penso até que só mesmo algo mto mais forte é capaz de modificar essa natureza, em qualquer aspecto da nossa vida.

Mais um texto simplesmente espetacular. Como é próprio de um escritor como vc. Mais uma vez, parabéns! Aplausos! Aplausos efusivos a ti.

Suelen disse...

"Passem pela minha vida, mas não cruzem com a minha tara."
Ah.
Enfim.

Perdão amor, mas não sei o que comentar. Já que escreveste tudo, e comentaste deste tudo, o mais que eu poderia.

Fiquei assim: :O
É só.

David disse...

Já nem sei o que dizer de um texto que toca a alma.
Impressionante a maneira como senti cada palavra e viajei por cada linha do teu escrito.

Muito, muito bom!

;)

Fernanda disse...

Que seja fraca a carne que inunda floras e faunas de peles e pêlos... Dos lençóis aos labirintos... "Amemos!"

Postar um comentário