quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Três

Um talho para cada erro
Um homem para cada falha
E três com três com três
Logo estes nove se farão vinte e um
A soma se perde em meio aos fracassos
Do par exato, nós dois.
Neste cálculo sem fim
Já não encontro mais em mim
Derme para aliviar.

Claudio Rizzih.

2 comentários:

Daniele disse...

Simplesmente perfeito

Andresa Alvez disse...

Uma matemática certa, mas que para os outros parece inexistente. Estraho, não é? Deve ser como a matemática da vida real: Para mim, achar o x é fácil... Pra outro não.
Nesse caso, só é complicado encontrar o x nessa hipotenusa quem não sente...
Tudo igual e complicado, igual a matemática...

Poderia passar a vida te lendo, Meu Amor. <3

Postar um comentário